Sexta, 23 Fevereiro 2024 09:47

Vítima depositou R$ 15 mil referente a compra de um carro e na transferência o proprietário pediu R$ 5 mil a mais

Por
ÀS 10:03 h do último dia 21, compareceu à DP local, informando que no dia 15 de janeiro realizou a compra de um carro, após negociação pelo Facebook com uma mulher e, posteriormente, seguiu a negociação através do whatsapp. Em seguida falou por outro whatsapp com um homem, o qual informou ser o proprietário do Classic. Este disse que o veículo era de Porto Alegre e que seu compadre iria efetivar a venda, pois teria a procuração do veículo. A vítima foi até Porto Alegre para efetivar a compra. O suposto compadre conduziu o comunicante até uma agência do Banco do Brasil, pedindo para que fosse depositado o valor numa conta de outra pessoa. Posteriormente, o acusado levou-o até ao 4º Tabelionato, onde foi negada a transferência, em razão do veículo ter apenas a comunicação de venda para o acusado. Este então indicou o 11º Tabelionato, onde foi feita a procuração. Na saída o acusado levou o comunicante até o estacionamento de um supermercado, convidando para tomar água. Ali, o mesmo negou-se a entregar o veículo com a desculpa o mesmo era seu e que queria R$ 20 mil e não R$ 15 mil conforme havia sido depositado. Mas só manifestou essa vontade horas depois da transação bancária. A vítima não teve tempo hábil para cancelar a TED de R$ 15 mil.

O Jornal

Contato

Localização

Social

© 2018 Jornal O Lourenciano
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
Política de Privacidade