Segunda, 01 Junho 2020 14:07

Com a chegada do inverno, cresce a procura por pantufas,chinelos e pelegos

Por

ALOÍSIO HAMMES trabalhou durante 18 anos na empresa Arthur Lange, em Turuçu e 32 anos nos galpões de sua residência, contando com o apoio de sua esposa IEDA HAMMES. Para o Jornal O LOURENCIANO ele declarou que “produzimos chinelos, pantufas, tapetes e capa de mochinho. Adquiro as peles em Caxias e Curitiba. Depois, tudo que fabricamos é levado para as feiras de artesanato para vender na Av. Bento Golçalves, em Pelotas, aos domingos. Estamos há 32 anos ali em frente ao Lobão. Temos a Carteira de Artesão Nacional. Fazemos toda a produção manual. Não usamos máquinas. Os clientes geralmente são das redondezas aqui do Sul.  Na época de inverno nossos clientes são mais do local. Em Pelotas já temos uma boa clientela. Estamos há muitos anos naquele espaço. As pessoas que compraram num inverno, normalmente compram no outro também. Em Caxias, os curtumes atualmente estão muito fracos. A pandemia complicou bastante. Em Curitiba conseguimos um preço melhor, bem mais em conta. Lá classificamos as peles e depois a transportadora entrega. A maior comercialização são pantufas (entre R$ 70,00 e R$ 80,00) e chinelos (entre R$ 50,00 e R$ 60,00). Estamos aqui em São Lourenço do Sul há 65 anos morando no mesmo espaço, (Av. Santos Abreu, 1032, quase ao lado do Super Jepsen. Fone: (53) 99106.0689). Então esse trabalho é reconhecido”.

O Jornal

Contato

Localização

Social

© 2018 Jornal O Lourenciano
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
Política de Privacidade

X

Right Click

No right click