Quarta, 15 Maio 2019 14:06

Por Carmem Camino: Sobre uma cidade que tem uma Associação dos Artistas Plásticos

Por


Recebi, muito honrada, convite para as comemorações dos trinta anos da Associação dos Artistas Plásticos de São Lourenço do Sul e lembrei-me de que, certa feita, no Exterior, perguntaram a Érico Veríssimo que cidade era essa Porto Alegre onde ele vivia. Ele respondeu: “É uma cidade que tem uma orquestra sinfônica”. Não foi preciso mais nada dizer. Pois eu lhe digo, leitor do O Lourenciano: se alguém me perguntar “que cidade é essa São Lourenço do Sul da qual você tanto fala?”, eu responderei: “É uma cidade que possui uma Associação de Artistas.” Talvez, você não se dê conta da presença dos artistas plásticos lourencianos. Vou lembrar-lhes as mais recentes das muito poucas que conheço porque sou forasteira nessa cidade por mim tão amada. Você já se surpreendeu (certamente com natural deleite), ao se deparar com um muro esfuziante de vida por causa daquelas lindas borboletas? Antes era só um triste muro. Você lembra dos belos tapetes sobre os quais evoluiu a procissão de Corpus Christi no ano passado? Você se emocionou com aquele presépio na Igreja Católica, no Natal? Você se deparou com lindos quadros expostos na rua, diante do Banrisul? E aquela exposição genial de sombrinhas decoradas na beira do Arroio anos atrás? Pois saiba que esses eventos que o surpreendem a toda hora tem a mão dos artistas plásticos de São Lourenço, a tornar a sua vida, opaca pela rotina, mais colorida e alegre. Salvador Dalí, disse que “você tem que criar a confusão sistematicamente, isso liberta a criatividade. Tudo que é contraditório cria vida”. Artistas, não importa em que ofício, criam essa instigante confusão, iluminam esse nosso mundo que, sem eles, seria cinza, monocromático, disforme. “Criar confusão” faz pensar, traz claridade, apascenta nossa alma cansada da mesmice. Nos momentos de íntima reflexão, todos nós gostaríamos de ser leves como os artistas, livres para criar sem medo, ao menos no ofício da arte, já que na vida real está difícil. Trinta anos de associação de artistas numa pequena cidade não é pouca coisa. 

Quantas a possuem?
“Criar confusão, libertar a criatividade, criar vida!”. Essa a missão do artista. Perseverem, artistas de alma livre. Criem confusão por, ao menos,  mais trinta anos. Parabéns ao “contraditório que cria a vida”. 

Carmen Camino (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

O Jornal

Contato

Localização

Social

© 2018 Jornal O Lourenciano
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
Política de Privacidade

X

Right Click

No right click